Criança no Psicólogo
  • Oficina do Autismo

Como lidar comportamentos inadequados de crianças com TEA - Parte #4



Vamos revisar as etapas para lidar comportamentos inadequados de crianças com TEA;


A primeira etapa é identificar a função do comportamento;

A segunda etapa não reforçar o comportamento indesejado;

A terceira etapa é identificar um comportamento apropriado alternativo.


A principal perguntas a se fazer nessa hora é: Como eu gostaria que a minha criança fizesse no lugar do que o que ela está fazendo agora, por exemplo:


Uma criança que está chorando poder se comunicar verbalmente ou através de gestos ou até mesmo apontando, mostrando uma figura, me levando até um lugar.


Como eu gostaria que ela estivesse comunicando a mesma necessidade.


Vamos passar então por cada uma das quatros funções dos comportamentos inapropriados e refletir juntos em alternativas de comportamentos que podem substituir os comportamentos inapropriados.


A primeira função dos comportamentos inapropriados descritos aqui é a obtenção de objetos tangíveis, ou seja, querer obter um objeto um brinquedo ou até mesmo alimento.


Se a criança está fazendo um comportamento inadequado para obter um objeto, como podemos substituir? Quais seriam as alternativas? O que ela poderia fazer no lugar de chorar, bater, gritar. vamos pensar juntos.


Existem muitos comportamentos. Eu vou escrever aqui só alguns deles, poderia por exemplo: Ensinar a criança a apontar, apontar para o objeto desejado.


Então quando ela estiver tentando fazer o alcance dirigido eu posso simplesmente ensinar ela a apontar.


Outra forma seria ensinar a criança a pegar minha mão e levar até o lugar desejado.


Outra forma seria ensinar a criança a pedir colo. Para quando ela vier no meu colo ela se direcionar para o objeto desejado de forma apropriada.





É importante sempre que quando foi ensinar um comportamento alternativo nós façamos sem que o comportamento inapropriado esteja presente. Então estou dando aqui apenas algumas ideias.


Outra forma de obter objetos tangíveis é simplesmente através do contato visual, olhando para o objeto solicitado e esticando a mão fazendo alcance dirigido.


Contato visual com alcance dirigido.


Para segunda função dos comportamentos inadequados, ou seja, obtenção de atenção podemos ensinar uma série de comportamentos.


Podemos ensinar a criança a chamar pelo nome papai e mamãe ou pelo nome da pessoa, se ela já é verbal.


Podemos ensinar a criança a vocalizar com intenção se é pré-verbal, fazer algum som que indique que ela deseja a atenção da pessoa. Outra forma é ensinar a dar um tapinha de leve no ombro a puxar pela mão, a simplesmente entrar na frente da gente para conseguir atenção.


Se uma criança quer atenção ela pode simplesmente entrar na frente para obter atenção.


Então ela pode ainda, trazer um objeto de desejo ou iniciar uma brincadeira.


Todas essas são formas apropriadas de se obter a atenção.


Se a criança está chorando, batendo, gritando para obter a atenção e ela continua obtendo não tem porque ela aprender a chamar pelo nome, não tem porque ela aprender a chamada um toque no ombro, não tem porque a utilizar comportamento apropriados se o inapropriado funciona melhor.


Para terceira função do comportamento, ou seja, controle é importante que ensinemos a criança tolerar as mudanças e as variações. Como já disse anteriormente uma solução principal para esse tipo de problema é a dessensibilização, ou seja, eu exponho a criança a mudanças pequenas e gradativas, pequenas e sistematicamente implementadas.




Não adianta dar um passo muito grande, eu modifico um pouco e volto, por exemplo:


A criança quer que eu sente no sofá e não no chão existe esse tipo de controle. Então eu posso simplesmente sentar no sofá no começo e chegando mais para beirada, chegando mais para ponta e de repente eu sento no chão e volto por sofá.


De repente se ela tolera um pouco mais eu vou ficar de pé, mas não sentado no sofá, se ela pediu para sentar novamente eu posso sentar novamente brincar e interagir quando ela se distrair eu tiver motivada levanto novamente e vou saindo para ponta e aí gradativamente eu vou fazendo as repetições:


Saiu sofá, volto para o sofá, saio do sofá, volto para o sofá.


Até que a criança tolere que eu fique onde eu quiser ficar.


Esse comportamento é um comportamento muitas vezes persiste um pouco mais.


É importante ter consistência e fazer gradativamente os avanços se eu simplesmente começo a fazer avanços muito grandes muitas vezes o efeito é contrário com a criança. Ela pode ficar mais ansiosa e tentar controlar ainda mais a situação.


Também seria muito importante expor a criança a diferentes situações. Porque nós não vivemos exatamente a mesma rotina.


Muitos profissionais da área do autismo vão sempre aconselhar mantém a rotina para reduzir ansiedade para dar previsibilidade é importante ter sim uma certa estrutura de vida.


A previsibilidade ajuda as crianças sim a se desenvolverem, mais uma rigidez extrema atrapalha muito mais do que ajuda. É importante que eu tenho também pequenas flexibilizações ao longo do dia, que eu mude a minha rotina, que eu faço atividades diferentes.


É sempre importante também quando for flexibilizar, que isso se faça de forma gradativa um pouco acima da tolerância da criança e volta para sua tolerância, um pouco acima da criança e volta para sua tolerância para que ela possa cada vez mais aumentar a sua tolerância.


Uma criança que tem muito controle da situação eu preciso expô-la a mudança, expô-la a situação que não permite total controle dela. Mas isso tem que ser feito gradativamente, uma pequena mudança ela vai ficar um pouco ansiosa, faça uma pequena mudança novamente e ela vai se habituando a toda essa mudança e gradativamente vai reduzindo seu controle.


Para quarta função dos comportamentos inapropriados, ou seja, fuga.


É importante que eu não permita que ela consiga evitar a demanda ou fugir de forma inapropriada. Ela tem sim o direito de negar, mas não sistematicamente. É importante que ela saiba dizer não, mas não sistematicamente.


Então para essa função que eu posso ensinar, comportamentos apropriados alternativa para essa a função seriam:


Não simplesmente empurrando, seriam fazer o não com a cabeça ou não com dedinho, seria simplesmente virar as costas e sair sem fazer um comportamento inapropriado.


Sempre lembrando que fazer o NÃO é devagar, não é dando um tapa. Sair é sair aceitando e mostrando, deixando claro que a criança não quer aquela situação ou não quer aquela atividade.


Mas não sair chorando ou se jogar no chão. Se a criança está fazendo isso ela está evitando de forma inapropriada. Se a criança quer pedir para abrir a porta.

Ela pode por exemplo: Aprontar para porta, pode tentar alcançar o trinco, pode te puxar até a porta e não esmurrar a porta ou ir para porta e ficar chorando ou gritando na porta.


É importante que ela peça para abrir a porta de uma forma adequada é importante que ela saiba dizer não de forma adequada.


Porque se não, imagina numa sala de aula com os coleguinhas, quando um coleguinha vem e faz alguma atividade que ela não quer. Ela começa a gritar as chances desse coleguinha querer interagir com ela novamente vão cada vez se reduzindo.




Se ela sistematicamente grita ou bate para evitar alguma situação com coleguinha, cada vez mais esse coleguinha vai interagir menos e a criança com autismo vai cada vez mais acumulando atraso por falta de interação.


Então precisamos identificar comportamentos apropriados alternativos e para a fuga precisamos ensinar a dizer não ou a pedir para sair de forma apropriada. Então, ensine a sua criança apontaram a pedir de forma apropriada os objetos que ela quiser obter.


Ensine a criança também a obter a atenção de forma apropriada, te puxando pela mão entrando na frente fazendo vocalização intencional te oferecendo brinquedo.


Ensine também ela gradativamente a tolerar as mudanças e abrir mão do controle extremo, flexibilizando a sua rotina, flexibilize o seu jogo. Mas faça isso sempre gradativamente aumentando aos poucos.


E por último ensine também a criança a pedir para finalizar uma atividade de forma apropriada dizendo não, guardando objeto ou pedindo para sair de uma forma que não seja inadequada, por exemplo: Apontando para fora ou te levando até a porta.


fonte: Instituto Farol


(Se você achou que essas informações foram úteis, se te ajudou de alguma forma não se esqueça de compartilhar com as pessoas que possam também se beneficiar, muito obrigado e até breve.)

74 visualizações0 comentário
INSCRIÇÕES ABERTA
PARA CURSO ABA NO AUTISMO-TEA

 

 Você vai entender definitivamente tudo sobre a Análise do Comportamento Aplicada-ABA. Para atuar na clínica, escola ou em casa e ter resultados reais e efetivos no processo de intervenção.

​​

GRACIANO SIQUEIRA 
NEUROPSICOPADAGOGO
CLÍNICO ESPECIALISTA 
EM AUTISMO

Meu objetivo é oferecer a você um ponto de partida seguro e eficaz para que consiga manejar estratégias de intervenção em ambiente Educacional e Doméstico. Aprenda as melhores técnicas de intervenção com conceitos básicos e práticos sobre Analise do Comportamento Aplicada-ABA, onde o objetivo é que você realmente entenda todo o processo e consiga ajudar no desenvolvimento da pessoa com autismo. ​

Curso 
Sobre Transtorno do Espectro Autista - TEA

 

CURSO GRATUITO
(Valor Normal R$250)
 

Toda informação que você precisa ao seu alcance.

CURSO 100% ONLINE

100% GRÁTIS

 O livro "600 formas de brincar" é um manual completo para todos aqueles que querem aprender formas variadas de brincadeiras ou melhorar o desenvolvimento da criança com - TEA.

Totalmente prático, o guia lhe ensinará passo a passo todos os métodos e técnicas que você precisa saber para aprender de forma simples, direta e eficiente.

Clique no botão abaixo e faça o download gratuito do livro agora mesmo!
paperbackstack_511x457-7.png
7788601-1596311995637-4ddf554312eab.jpg
Procure por Tags

Assine GRÁTIS

a newsletter semanal

Fique em Contato // Tel: 18-9961-1584 // oficinadoautismo@hotmail.com
Wave

© 2009-2021 | OFICINA DO AUTISMO CNPJ: 11.979.180/0001-11 | R: José de Alencar 702 | CEP 19802-010, ASSIS /SP 
Tel: (18) 9 9661-1584 (Whatsapp) Atendimento telefônico em dias úteis. 

Atendimento diário* por email: prof.gracianosiqueira@hotmail.com.